Memórias da Vovó Dina – parte 26

Neste ínterim fiquei grávida da Regina. De repente o “santo” Rodrigo Mota veio com a notícia do concurso do Banco do Brasil.

Para trabalhar no escritório, ver a quantas ia a “venda” e estudar para o concurso, não foi fácil para o predestinado Anthenor dar conta do recado. Falou com o Sr. Gustavo Paiva, diretor presidente da fábrica, que ia fazer o concurso para o banco e ele disse que o “nossa amizade” ia se arrepender.

Passou no concurso (Rodrigo não) e fez duas coisas importantíssimas: vendeu a “santa” vendinha e fomos morar na rua do Uruguai em uma boa casa. Infelizmente, quando começou a chover a umidade tomou conta do piso e era o mesmo na rua do Macena, onde nasceu Regina Ângela.

A casa foi ficando pequena (eram dois quartos) só tinha uma vantagem, era perto do Mercado. Foi aí que recebemos para casar, o Joaquim (primo de Anthenor) e a Stela. Toda de preto: chapéu, vestido, sapato e bolsa. Deus a abençoe, mas parecia mais um velório. Perguntei por que aquilo e ela disse que sempre desejara um vestido preto, então… não sei se foram felizes! São os pais do Fernando Teles.

Regina Ângela

Da rua do Macena fomos morar em uma casa maior vizinha do Rodrigo, que morava com a mãe D. Áurea e a irmã Zaíde. Nesse ínterim adoeceu a avó do Rodrigo e foi se recolher em casa da filha Aurea. D. Aurea e Zaíde eram as criaturas mais inúteis para cuidar da pobre D. Januária. Resultado de uma queda, esteve no hospital cerca de 6 meses. Como não tinha nenhuma melhora trouxeram-na para casa de D. Aurea. Adivinhem quem cuidou da pobre senhora? – Rodrigo, Edgar (irmão) e a vizinha Fernandina. Rodrigo chegava do trabalho e mais o irmão Edgar iam dar banho na pobre mulher. Ela só dizia com as bobagens do Rodrigo: Ô Rodrigo, não diga essas coisas!

Ariel, Araken, Percival e garoto não identificado

Até a comida para a coitada, quem dava eram eles. A filha e a neta só faziam olhar. Eu ajudava no que podia – tinha casa e filhos para cuidar. Uma neta Maria Alice, que morava em Rio Largo, vinha sempre visitar e namorar o Edgar, com quem se casou. Levou tempo essa luta – mais ou menos 4 ou 5 meses. Veio um irmão que era padre no Rio de Janeiro (Padre Aurélio) para visitá-la.

Não sei quanto tempo ela levou nesse sofrer, mas ela sabe que foi um alívio quando partiu. Alívio para ela e para os netos. Deve estar em ótimo lugar, assim espero.

Depois dessa casa fomos para a rua 7 de Setembro, na mesma casa que morou o Euzébio. Anthenor, por obra e graça de um amigo do Banco, conseguiu substituir os contadores das pequenas agências do interior, ou seja, Palmeira dos Irmãos, Viçosa e União dos Palmares. Se teve mais alguma, não me lembro. Lá íamos nós com os filhos. A sorte é que sempre tinha um filho de Deus que nos arranjava móveis. Só não em Viçosa, porque tínhamos a casa dos nossos queridos Jatobá.

Nesse período (1942 -1944) nasceram Failde Aroni e Rodrigo Araês.

(continua… aguarde a próxima postagem de Minha Vida)

Anúncios

8 pensamentos sobre “Memórias da Vovó Dina – parte 26

  1. Ma, também não é o Alberoni. Ele era muito mais novo do que esse menino aí. Não faço a menor idéia de quem seja. Talvez a Anajas saiba.

  2. A foto da Failde não é dela bebê. Ela já está adolescente, ou entrando nela. E a do Percival, foi tirada em Maceió. Ele não está sozinho. Foi uma foto tirada em família, quando eles estavam se despedindo de Maceió e indo morar em Ouro Fino. O caso é que estavam indo para o estúdio do fotógrafo tirar a foto e ele ficou bravo porque não coube no carro e teve de ir a pé, com os outros irmãos. Lá chegando, fez careta em represália. Acho que tem cópia dela na casa da mamãe. A Anajas deve saber dela. Converse também com a Failde, ela tem várias fotos antigas. Ela surrupiou várias.

  3. Dê, eu não sei que fotos são essas, na verdade fotos da tia Failde bebê eu tô com dificuldade de identificar. Essa do tio Percival pelo que estou vendo não está entre o montante que eu peguei… Vamos ver se encontramos ela mais pra frente e incluímos no blog.

  4. A mãe da Laura Ingalls dizia que quem casava de preto voltava rápido para casa ( quem não leu os livros dela deveria), mas a Laura foi feliz no casamento dela, de repente deu certo com a Stela também.

  5. só espero que coloquem a foto da tia Failde com aquele laço gigante. Consegue ser maior do que esse da minha mãe. e aquela com o Tio Percival fazendo careta. Sao geniais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s