A TESOURA

As moças queriam casar e não viam candidatos que lhes agradassem.

Conheciam o Julio, mas ele nem ligava para elas. Mas era tudo mentira. Ele fingia, porque não se decidia por qual das três.

Por fim o moço resolveu conversar com a mãe, que lhe falou:

– Se quer mesmo escolher e não acha jeito, vamos testar qual delas será uma boa dona de casa. Vá logo, antes que se arrependa.

Ele ficou animado e foi logo convidar a mais velha das irmãs, Maria Luisa. Ela ficou toda prazerosa com o convite do rapaz que tanto simpatizava.

Na quinta-feira, o grande dia, a mãe do rapaz colocou na entrada da porta uma tesoura aberta.

Chegou a animada mocinha, na hora certa – meio dia – atravessou o batente da porta e passou por cima da tesoura sem ligar para o objeto, que fez que não viu.

Na outra semana foi a vez da Mariinha que também aceitou com muito prazer. Ali estava a tesoura, posta diligentemente pela zelosa mãe. Também não passou no teste.

Na outra semana foi a vez da Luciana.

Quando ela transpôs os degraus que levava à entrada da porta, viu a tesoura. Parou, se curvou e apanhou a tesoura, entregando-a à dona da casa.

Depois do almoço, a moça se despediu agradecendo efusivamente o excelente almoço.

A mãe, se voltando para o filho, disse:

– Esta sim. Cuidadosa, gentil, bonita. Esta dará uma boa esposa e dona de casa melhor ainda.

Depois de um ano, se casaram.

Anúncios

Um pensamento sobre “A TESOURA

  1. Tenho uma amiga aqui em Curitiba que faz igual quando procura empregadas. Deixa uma vassoura meio jogada. Diz ela que é batata.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s