Memórias da Vovó Dina – O CIRCO

O Palhaço estava conversando com o parceiro, animado e feliz como sempre parece.

Muitas vezes tem problema no coração, com a família ou mesmo com os componentes do trabalho.

Não deve ser fácil muitas vezes aparentar alegria que está longe de sentir.

Mas como ia dizendo, o Palhaço estava a conversar com o parceiro, quando um chato de galocha começou a fazer críticas ao Palhaço em alto e bom som:

– Palhaço bobo, sem graça.

Dizia mais coisas que não lembro pois era menina ainda.

O tal rapaz que se chamava Leonel, que era sapateiro e dos bons, tinha como brincadeira anarquizar com tudo, especialmente o pessoal do circo. O que era sempre, pois era o que não faltava em Rio Largo era um bom circo.

De repente o parceiro do Palhaço lhe perguntou:

– Você gosta de frutas?

– Muito de toda fruta. Mas o que mais gosto é do abacate.

– Sério? E o caroço, você engole?

– Não, nem pensar. Senão eu fico entupido mais Leonel!

A vaia que o Leonel recebeu fê-lo calar-se de uma vez por todas.

O Palhaço ficou em paz.

Anúncios

Um pensamento sobre “Memórias da Vovó Dina – O CIRCO

  1. É engraçado como algumas coisas são incorporadas ao folclore familiar e não nos damos conta da procedência. Essa expressão “entupido mais Leonel” ouvi a vida inteira, mas nunca soube que havia uma história por trás. Só agora fiquei sabendo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s