12/Maio/71 – Espanha

15h (Europa) – Hotel de Inglaterra
Quartos bonitos, com varandas dando para a Praça de São Fernando.

Plaza San Fernando, Sevilha, Espanha.

A cidade (Sevilha) tem um movimento fantástico, toda florida e arborizada, é uma coisa boa de se ver, mas não tem simpatia, apenas atenção delicada para o forasteiro ou turista como queira.

O comércio faz com que fiquemos com água na boca de ver tantos leques, mantilhas, jóias, fazendas. Tudo muito chique e atraente.

A gente sonha em ter dinheiro bastante para carregar com boa parte e distribuí-los com os seus. Mas o que fazer? É olhar, ver e deixar para outros virem e desejarem e comprarem, se puderem.

Catedral de Sevilha

A Catedral, construída pelos mouros, é talvez o maior patrimônio histórico de Sevilha. Imensa, toma todo um quarteirão, é imponente e austera como sabem ser as coisas feitas pelos nossos avós. Pena não ser eu arquiteta para descrever melhor e verdadeiramente todas as belezas desse rendilhado que enfeita e ilustra a Catedral de Sevilha.

Dentro é imenso. Vimos, Lourdes e eu, apenas um altar. A “simpatia” da recepcionista de turismo não nos deixou nem ver ¼, apenas por não termos comprado uma entrada. Até o catolicismo explora vergonhosamente a humanidade curiosa que deseja se deleitar em desvendar as belezas dos nossos antepassados. Mas, voltando à Igreja…. no centro interno do pátio tem uma torre chamada Giralda. Toda arquitetura é em trabalho de rendilhado e no centro, de face para o pátio, tem estátuas dos 12 apóstolos ladeando a de Jesus. Essas estátuas tem mais ou menos 80 centímetros de altura. De onde se olha vê-se com nitidez toda a perfeição de que foi capaz o artista para esculpir toda aquela beleza que ainda hoje serve de admiração para o mundo.

Acabamos de sair de Alcazar. Só vendo para poder calcular a beleza, poder e delicadeza com que os árabes (mouros) construíram. Um dia, Deus o permita, vocês hão de ter oportunidade de ver. Ver fotografias.

Plaza de España, Sevilha, Espanha.

Estamos no Parque Maria Luiza. Compreende principalmente a Praça de Espanha. No centro da mesma existe uma enorme fonte com repuxos. Ao fundo, em meio circulo, um edifício em estilo mourisco, que foi construído para a feira mundial no ano de 1930 por Afonso XIII.

O Parque é imenso, quase que do tamanho do Ibirapuera. Os jardins floridos de rosas e as crianças, dão a nota humana e garrida ao lindo e imenso Parque. Cheio de pombos brancos que lembram o Espírito Santo da Igreja Romana.

Igreja de Santa Maria De La Esperanza (Macarena), padroeira dos toureiros. Pequena e bela, com seus altares recobertos de ouro, seus Santos soturnos e bem vestidos como se fossem para uma festa não muito alegre, da alta sociedade. A padroeira então, com suas lágrimas de brilhantes, sem ar de tristeza, dá a pensar que carrega todos os pecados dos matadores de touros de toda a Espanha. É linda e rica a Igreja e ao contrário das velharias em geral, muito limpa e bem conservada.

Anúncios

Um pensamento sobre “12/Maio/71 – Espanha

  1. Nise, siga a peninsula ibérica. Eles começaram por Portugal, agora estão na Espanha. Está na ordem certa mesmo. Seria interessante a blogueira colocar o país como subtitulo, que acha?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s