Sintra e Caiscais

Palácio ou Castelo da Pena – Sintra – Este sim é realmente bonito e interessante, só que todos os aposentos são relativamente pequenos.

Vista de Lisboa desde o Castelo de Pena. Na foto se pode ver o Castelo dos Mouros.

Começamos pelo claustro do século VI – quarto do Rei Carlos e capela do mosteiro com altar de alabastro – coro dos monges – quarto das damas de companhia da Rainha junto ao quarto da ama – quarto da Rainha D. Amélia (1810) com trabalho de gesso na parede, imitação árabe – sala de trabalho dela, com móveis em sândalo (Índia) – sala de passagem – sala de visitas toda pintada até o teto (a pintura dá a impressão de relevo iguais aos três tetos da biblioteca da Universidade de Coimbra) – as mesas e móveis em várias salas são incrustadas de madrepérolas – na sala de visitas os móveis são todos em porcelana, sendo um trabalho incrível em beleza e delicadeza. O Castelo fica a 800 metros acima do nível do mar, é uma linda vista sobre a cidade de Lisboa e seus arredores. A frente do Castelo é toda em azulejo azul e branco. A sacristia é muito bonita. No salão nobre existem quatro estátuas de madeira representando quatro soldados turcos. Trabalho português.

Castelo da Pena

Outro palácio – sala da guarda do Palácio de Sintra

O palácio é grande, simples, modesto mesmo. Quem o habitou gostava das coisas sem fausto. Alegre e calmo. Da sala da guarda passamos para a cozinha, grande, enorme, dois fornos de tijolos muito próprios no tamanho, para a sua finalidade. Um tripé comprido e alto para assar as caças. Os fogões devem ter uns doze metros de comprimento (são dois), tendo ao todo dezessete buracos e os panelões se ajustam perfeitamente ao caso; duas mesas feitas de tijolos, sem pés, com tampo de mármore, dois armários e quatro arcas. De lá fomos ao quarto de hóspedes com uma grande armadura, trabalho alemão e cama portuguesa; sala de jantar ao gosto mourisco. No centro tem uma fonte e ao redor sentavam-se os convivas, em almofadas de depois lavavam às mãos na fonte; sala chinesa onde tudo veio de lá – capela em estilo mourisco, no chão ladrilhado de tijolos encerados, um trabalho de azulejos mourisco, fingindo tapete. Quarto do Rei Afonso VI, onde esteve preso durante nove anos. Preso por seu irmão para deixar de fazer estrepolias (palavras do guia). O irmão fez vida com a Rainha com quem se casou depois de sua morte. O Papa, reconhecendo a falta de virilidade do doente Rei, anulou o casamento antes da morte dele (Afonso VI). Sala de passagem para a sala manuelina – sala de conselhos com cadeiras e mesas em trabalho português e tapete persa – sala gabinete de trabalho – quarto de dormir do Rei D. Sebastião com cama portuguesa em ébano, prata e cobre (em quase tudo existe a influência moura) – sala das sereias (elas são pintadas no teto – horrível) – Salas das pegas (contam uma história, com referência a essas pegas, que o Rei beijava nessa sala uma dama da corte quando foi surpreendido pela Rainha, a notícia se espalhou como um rastilho e pólvora e em pouco tempo o mulherio falava sobre as beijocas do Rei e ele, para se vingar da fofoca, mandou pintar cinquenta e oito pegas no teto da sala que foi o palco da tragédia) – por fim a sala dos banquetes ou dos cisnes – esta é bonita, são vinte e sete cisnes todos com um colar imitando uma coroa e cada um em posição diferente. El Rei D. Manuel I mandou pintá-la para comemorar o aniversário da filha Isabel, que fazia 27 anos e casava no mesmo dia.

Castelo de Pena

Perto da cozinha, na maior simplicidade, está a sala de refeições da família real. A maioria das salas dos três palácios são ladrilhadas em tijolos encerados, algumas são assoalhos ou pisos daquilo que hoje conhecemos como cerâmica.

Dos três que conhecemos domingo, o que menos gostei foi o de Queluz – é pequeno como palácio real e não agrada como a simplicidade do de Sintra e a alegre decoração do de Pena. Enfim, graças a Deus terminamos em paz a nossa romaria por esse mundo de Oropa – França e Bahia.

Muchaxo, restaurante na Praia do Guincho, em Cascais

Depois das visitas fomos almoçar na praia do Guincho, que é perto de Cascais e faz parte do município ou distrito. A praia é muito bonita, o mar muito forte com areia grossa e escura. Não deixa, mesmo assim, de ser muito útil aos banhistas. Almoçamos muito bem e muito caro também; mas como diz o ditado “mais vale um gosto do que cem cruzeiros”.

Praia do Guincho, em Cascais

Fim da viagem à Europa

Anúncios

2 pensamentos sobre “Sintra e Caiscais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s