A Partida

Esta semana nossa autora completou seu ciclo de vida e partiu. Deixará saudades a seus entes queridos, mas também a felicidade de ter-nos permitido ser parte de sua história.
Publico alguns textos e fotografias compartilhados por seus filhos e netos esses dias, a começar por um texto de Rodrigo Araês, seu filho.

“Minha Matriarca, Fernandina, faleceu hoje, às 9:21 horas da manhã, aos 98 anos de idade. Foi uma libertação do sofrimento que ela estava tendo, e creio que ela cumpriu toda a sua promessa de vida.
Coloco aqui um poema inspirado pela minha falecida sogra, Maria, três meses depois de seu falecimento. Acho que corrobora todos os sentimentos meus e de meus treze irmãos, além dos genros, noras, netos e bisnetos.
Amém,
Rodrigo Araês,

Partida

Fui embora
não fiquem tristes com a minha partida
pois nada que amo ficará perdido
É mais uma pena que me fará voar.

E, pairando, nem sentirei que a vida é breve
pois minha alma estará mais leve
lembrando todos a que pude amar.

Portanto, crianças, eu vos espero no eterno agora
Onde não existem idas e vindas, apenas memórias,
ilusões de um passado que se torna lembrança.

E chegarão até mim seguindo o rastro
do amor que permaneceu comigo.
Saberão enfim que nunca fui embora
que era falsa a minha despedida
que almas irmãs não se separam…

Rodrigo Araês Caldas Farias
São Paulo 08/03/96 – 9:10”

Anúncios

2 pensamentos sobre “A Partida

  1. Mensagem para a prima Fernandina e sua família.

    Fernandina sempre foi forte, determinada, amorosa, sem meias palavras, franca e direta. Sua trajetória de vida, liderando sua grande descendência, ao lado do seu querido companheiro, serve de exemplo a todos nós, que pudemos, por várias vezes, compartilhar bons momentos e nos servirmos de sua generosa e alegre acolhida.
    Tua prima Júlia, deseja a ti, aonde estiveres, toda a felicidade que um ser do bem merece.
    Que possas alçar vôos e emanar benditas energias a todos aqueles a quem amavas.
    Aos que ficam, que continuem realizando, amando e evoluindo, até o dia do reencontro.
    Um grande abraço a todos,

    Júlia Nísia Lins Benato.

  2. Tive a honra de conhecer Dona Fernandina e o Sr. Anthenor pelos idos de 1958. Na época morava quase em frente da sua casa em Itajubá e fui muito amigo de Percival. Em 1969 por motivo de meu casamento tive a alegria de que aceitarem ser meus padrinhos de casamento. Na época da minha chegada a Itajubá para estudar tinha 17 anos e a na casa destes patriarcas e da sua família encontrei muito amor o que foi para mim extremamente importante.
    Tenham certeza todos seus filhos que vocês tiveram a melhor mãe do Mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s